terça-feira, 31 de março de 2009

Poliquetas









Para desavisados, as belas poliquetas que enfeitam o coral, com suas exuberantes cores e formatos atrativos, pertencem ao Filo Anelídeo, vulgarmente conhecidos como vermes, e à Classe Poliqueta, que também tem seus representantes em terra firme, mas falemos sobre os marinhos. Eles habitam frestas de rochas, galerias de areia ou inseridos nos próprios recifes de coral. Podem ser sedentários ou errantes, habitando todos os oceanos do planeta, da superfície às maiores profundidades.
Os sedentários são chamados de Tubículas, pois vivem em tubos calcários ou mucosos. Por meio da extremidade de seus tubos captam alimentos por intermédio de regiões ciliadas que encaminham as partículas para a boca; quando molestados, retraem-se para dentro dos tubos. Os mais conhecidos dos mergulhadores são chamados de árvores-de-natal ou espirógrafos, pelo formato de seus penachos.
Os errantes são animais caçadores, que possuem região anterior desenvolvida, com estruturas sensoriais tais como olhos e tentáculos, o corpo é longo e segmentado. Locomovem-se junto ao fundo com a ajuda de parapódios, estruturas na forma de pequenos remos. São conhecidos como lagartas-do-mar ou nereis. Seu forte colorido vermelho e amarelo deve ser reconhecido e evitado pelos mergulhadores, pois suas cerdas são urticantes com capacidade de provocar sérias queimaduras.
Infelizmente, não consegui fotografar nenhuma lagarta ainda, mas para vocês, as poliquetas dos corais em mergulho de pontos de Recife de Fora em Porto Seguro, Bahia.

Cristiano Melo, 30 de Março de 2009.

6 comentários:

  1. valeu mesmo!! o seu blog me ajudou muitooo!!!
    graças a ele tirei minhas dúvidas e terminei meu trabalho sobre as poliquetas

    ResponderExcluir
  2. mas o que que eles se alimentam ou como se alimento

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelo "retorno" Carol, isso me estimula a continuar com o meu trabalho.
    abraços

    ResponderExcluir
  4. Caro "Anônimo", acredito que tenha feito uma pergunta, certo? Poderia utilizar de acentuação numa próxima vez, e ainda se identificar? Obrigado.
    Resposta em caso de indagação (se for outra coisa que queira, por favor, escreva novamente):
    Do que se alimentam:
    "A nutrição dos poliquetas está diretamente relacionada ao seu hábito de vida. Os poliquetas sedentários (cavadores e tubícolas) alimentam-se de depósitos, utilizando como alimento a matéria orgânica presente no sedimento. Ou podem ainda capturar partículas em suspensão – no caso dos sabelídeos, que possuem apêndices ciliados com superfície ampla (coroa branquial) para aprisionar partículas. Os poliquetas carnívoros, herbívoros ou detritívoros são essencialmente os móveis (com algumas exceções que podem ser tubícolas ou cavadores ativos). Os carnívoros, em geral, apresentam faringe muscular eversível bem desenvolvida (comum em Phyllodocidae) ou mandíbulas com dentes para agarrar as presas (presentes nas famílias Nereididae, Eunicidae e Lumbrineridae)." FONTE: Wikipédia, 16 de Setembro de 2011.

    Como se alimentam:

    "O sistema digestório nos poliquetas trata-se de um tubo reto que se inicia na boca, na extremidade anterior, até ao ânus (pigídio), ele diferencia dos anelídeos em possuir faringe (ou cavidade bucal caso a faringe esteja ausente), esôfago curto, estômago – em algumas espécies - intestino e reto. A faringe pode ser protraível, em forma de língua, bulbo muscular (localizado na parede mediana ventral do intestino anterior) ou um órgão eversível. Os dentes podem ser de formas e funções diferenciadas, em alguns casos formam mandíbulas como garras. Em Nereis, dois grandes cecos glandulares se abrem no esôfago, este por sua vez secreta enzimas digestivas. A forma de defecação é bem diversificada, sendo que, nos rastejantes e cavadores, as fezes são excretadas e abandonadas. Muitos poliquetas tubícola, como Chaetopterus, que bombeiam águam unidirecionalmente através de seus tubos, defecam na corrente exalante. Nesse caso, alguns poliquetas evitam a contaminação fecal vivendo de cabeça para baixo (com o ânus para cima) em seus tubos verticais, como fazem os maldanídeos, enquanto muitos outros se viram temporariamente para defecar na superfície. Há ainda outros poliquetas que vivem com a cabeça para cima em seus tubos em fundo cego, como os sabelídeos e os sabelariídeos, que eliminam as suas fezes sem se virar de cabeça para baixo. Muitas espécies consolidam as fezes em pelotas fecais ou fitas muito densas, que tendem a não ser re-suspensas e entrar novamente nos tubos." FONTE: Wikipédia, 17 de Setembro de 2011

    ResponderExcluir
  5. Em relação aos apêndices utilizados na captura de alimento qual a diferença entre errantes e sedentários? Qual possui mais apêndices?

    ResponderExcluir